Comportamento

Como eu tenho conseguido acordar mais cedo

Sempre tive meus rituais para dormir: eletrônicos fora da cama, desligar todas as luzes, silêncio total, rezar, horizontalizar e fechar os olhos. Para acordar, nunca luzes artificiais. Vamos abrir as cortinas. É lindo no discurso, mas já fui julgada de fresca por isso. Já causou muita discussão com quem dorme comigo – que muitas vezes precisa ir para a sala se quiser assistir alguma coisa antes de dormir. Às vezes, é insustentável nas viagens. Mas é difícil abrir mão desses hábitos. Porque se tem uma coisa que me deixa muito mal humorada é não dormir bem ou ter insônia. O que – graças à minha insistência nos rituais que funcionam para mim – é raro.

Ultimamente, um desejo e uma necessidade me invadiram: precisava acordar mais cedo. Não conseguia fazer atividades físicas, não conseguia tomar um bom café da manhã, não conseguia almoçar no horário que gostaria, não conseguia lidar com as urgências no trabalho – aquelas atividades que precisam ser resolvidas na hora e invadem o tempo de uma outra que precisava mais da minha atenção. Precisava interromper, cumprir a urgência e passar o resto do dia aflita numa briga comigo e com o tempo.

Li textos, queimei papeis na lua nova, coloquei despertador, pedi forças aos céus. Falhei. Dormir até o último minuto é sempre tentador. Mas a aflição seguia. Poderia me inspirar nos grande nomes de sucesso que madrugam: Tim Cook (CEO da Apple), Robert Iger (da Disney), Howard Schultz (do Starbucks), Richard Branson (da Virgin). Mas, na verdade, precisava saber exatamente o que eu queria e por que estava fazendo isso. Até que consegui chegar num meio termo que tem me ajudado. Por enquanto, não tão cedo. Também não tão sofrido. Nem tão comprometedor na vida social noturna. Tenho acordado às 6h40, o que pode ser super tarde para alguns, mas é uma transformação e tanta para mim, que acordava às 8h20. Compartilho alguns do meus novos rituais que me ajudaram nesse processo de levantar mais cedo.

1 – Por que eu quero acordar cedo?

Para mim, foi importante me convencer. Ter claro um objetivo e me explicar porque era melhor assim. Ainda hoje, na noite do dia anterior, penso o que vai me fazer levantar amanhã. Escrevo numa agenda. Às vezes é o yoga, outras vezes é vontade de ir andando para o trabalho. Pode ser ler um livro, ou necessidade de demorar mais no banho e no café. Tomar um pouco do sol da manhã, escutar os pássaros, ouvir um disco novo ou chegar mais cedo no trabalho.

2 – Tocou, levantou

É, essa dica todo mundo dá e não deve ser à toa. Se a gente tem alguns segundos para pensar, já era. A gente vai querer dormir mais. Por isso, se o despertador toca, vamos levantar antes do nosso cérebro nos enganar e ficar na preguiça. É disciplina militar, mesmo. Drauzio Varella explica isso pra gente se sentir melhor:

3 – Meditação

Esse guia prático de meditação realmente mudou minha vida. As meditações matinais que encontro no aplicativo Insight Timer tem me guiado pela manhã. É o meu melhor “bom dia”. Me desperta conscientemente.

4 – Começo pelo mais difícil

Quando eu percebo que levantei cedo, fico feliz. Acho que o dia vai ser bom só por isso. Porque nunca é fácil. E assim, já que a parte mais difícil já foi, o resto vai ser moleza. Me preparo com exercício ou alimentação, porque preciso estar forte fisicamente para as próximas horas. Quando chego no trabalho, vejo o que preciso fazer e começo pelo mais difícil e trabalhoso. A medida que vou tirando isso do caminho, vai me dando alívio e energia para as próximas atividades.

5 – Sinto-me mais útil

Quando aquelas urgências surgem, seja de um pedido extra do chefe, um pedido de socorro da amiga ou uma mensagem urgente no e-mail, consigo dar atenção com mais tranquilidade – porque já me adiantei no começo da manhã, quando não tinha ninguém para me interromper.  Consigo ajudar mais, me sentir mais útil e produtiva.

6 – Escutar e exercitar ao mesmo tempo

Durante as 8 horas em que trabalho, não consigo escutar muita coisa. Rádio, podcast, vídeo. Isso me faz falta. Se acordo mais cedo para fazer exercício pela manhã, posso escutar o que quiser. E se vou a pé para o trabalho, também. Começo o dia mais feliz por isso.

7 – Consciência

Só é possível tentar se conhecendo. Prestando atenção no que estou fazendo e por que estou fazendo. Vai ter gente falando mil coisas. Para não ler notícia de manhã, para desligar o celular e a televisão, para meditar, para fazer exercício, para tomar suco verde. Estou me testando, vendo o que funciona para mim. É importante me entender e também reconhecer que é um processo individual. Que pode ser sofrido. Porque se durmo tarde, vou morrer de sono no dia seguinte. E isso vira um ciclo vicioso, se não tiver cuidado. O importante, para mim, é estar atenta e ter consciência de como uso meu tempo, tentando alinhar isso a como gostaria de usá-lo.

Categorias:Comportamento

Marcado como:,

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

w

Conectando a %s