Música

Um abraçaço, Caetano

Peço licença ao mestre, com a coragem de nunca deixar de entrar. É isso que Caetano ensina. Ser gente que começa, que aprende, que ouve, que canta, que cria, que dialoga. Que escuta o funk carioca e o sertanejo universitário nos mesmos ouvidos da bossa – nova – foda. Que se admite homem. Eis uma existência para celebrar nosso tempo! Apesar da triste Bahia, do dom de iludir e da aflição com lágrimas nos olhos de cortar cebola: ainda temos a régua e o compasso, a malícia das mulheres, o consolo e os quereres. Ainda temos a sobriedade para fazer uma oração ao tempo, nos questionarmos no silêncio da noite e ir – sem lenço e sem documento. A gente, que aprendeu outros quereres com a bruta flor, insistimos em sermos justos: eu vi você, Caetano. Uma das coisas mais lindas da natureza. Essa natureza que entrega espírito, onde esperamos ato. Que não falte leãozinhos para desentristecer seu caminho quando encontrar um coração só. Que não falte pé e mão para agarrar, enquanto o galo canta. Porque a vida faz sentido na sua música. E não há desejo mais sincero que isso. Um abraçaço em ti, Caetano. Desses que aperta e agradece sem medos. Abraço que vibra nessa Terra jamais esquecida. Perdoe a falta de novidades. Te ofereço tudo que você já me ofereceu, mas é o que eu tenho de melhor: parabéns!

 

2 respostas »

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s