Mitologia

“Quando nos vênus, juro a marte”.

WhatsApp Image 2017-07-23 at 19.47.20

Na mitologia, Vênus [para os romanos], chamada também de Afrodite, é considerada a deusa da sensualidade e beleza. Personifica a sedução e materializa a sensualidade ao encantar deuses e mortais, a por a fidelidade de muitos em risco.  Nascida já adulta pelas espumas do mar, revestida pelo desejo e a obsessão sexual, nos diz que a deusa nasceu pronta para dar prazer.

Há diversas versões encontradas a respeito de Vênus, entre elas, seus casos amorosos são marcados por finais trágicos. Em suas histórias de relacionamentos, conheceu Marte. Ares ou Marte [para os romanos], afamado por ser o deus da guerra, impulsivo, enraivecido e tomado por atitudes intempestivas. Marte e Vênus se amaram e fizeram juras de amor eterno, infelizmente o destino dos dois foi interrompido. Não é por acaso que a célebre frase do poeta Leminski adverte o caso de amor: “Quando nos Vênus, juro a Marte”, traduzida: quando nos vemos, juro te amar. A conjugação verbal ‘vemos’ está para o nome de Vênus e o ‘te amar’ é representativo no próprio nome de Marte. Na busca por informações no viés do sistema solar, Vênus se encontra na segunda posição do planeta mais próximo do sol. Quanto a Marte, o planeta vermelho, composto por desertos e vulcões está na quarta posição do sistema solar. Diretamente do sistema solar para mundo poético e da música, encontramos:

 

Via Láctea

(A. Alves)

Quando nos Vênus,

Juro aos Deuses,

As estrelas

Juro a marte,

Juro amar-te

Porque nosso amor meu bem

É um big ben,

Que chegou ao estopim do caos,

Que nasceu do caos das estrelas.

Vênus e Marte

(Erasmo Carlos)

Era pra ser mais um beijo um capricho um desejo uma nova ilusão

Era pra ser mais um round mais eu fui ao chão

Fui ao locaute, com sua arte

Vênus e marte, no céu

Ela é uma bela uma fera uma festa uma guerra na mesma mulher

E me deixou sem juízo, num infernal paraíso

Era uma bruxa uma fada uma boa malvada que me fez sofrer

Que me virou pelo avesso de tanto prazer

Água e fogo, frio e calor, rios de leite e mel

Vênus e marte, no céu

Vênus e marte, no céu

Vênus e marte, no céu

Disponível em: https://www.youtube.com/watch?v=w2YXfNrYWUM

Como diz a letra da música de Erasmo Carlos: Água e fogo, frio e calor, rios de leite e mel, a água é simbolizada pela imagem de Vênus, nascida das espumas do mar. Quanto ao fogo, é inerente ao temperamento vulcânico do deus da guerra, Marte. Não é por acaso que o planeta Marte toma em sua forma a cor avermelhada. Os contrários se atraem ou se apartam. Frio e calor dizem que podemos construir a representação da história amorosa. Rios de leite e mel, é uma de metáfora com sabor desejo.   

Sendo assim, se aprofundarmos nossas pesquisas, enxergamos traços de intertextualidade da história mitológica, desde à órbita dos planetas aos poemas, música e afins.

Categorias:Mitologia

Marcado como:, ,

1 resposta »

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s